Facebook, LinkedIn ou Instagram? Você sabe em qual investir?

O que cada uma delas faz de melhor, de acordo com seus recursos, é o que de fato vai te ajudar com as conexões, autoridade e vendas – ou não.

Ir com a manada, postando qualquer conteúdo sem entender o seu público, suas dificuldades e seus desejos, ou ter bem desenhada a proposta de valor do seu negócio, não vai te ajudar a atrair mais clientes.

Já parou para pensar no por que você criou e segue alimentando a rede social do seu negócio? Pode ser Facebook, Instagram, LinkedIn ou YouTube. Não importa.

Escutamos por aí que as estatísticas dizem ter chegado a 2 bilhões o número de usuários no Facebook e que os perfis corporativos do Instagram já passaram dos 50 mil. Mas, você já avaliou para quê cada uma dessas redes servem de verdade?

O que cada uma delas faz de melhor, de acordo com seus recursos, é o que de fato vai te ajudar com as conexões, autoridade e vendas – ou não.

LinkedIn serve basicamente para:
  • Conectar profissionais de todo o mundo;
  • Conectar amigos/profissionais;
  • Conectar profissionais conhecidos e desconhecidos;
  • Promover seu marketing pessoal digital
  • Facilitar e agilizar a busca por empresas
  • Busca e candidatar-se a vagas de emprego
  • Acompanhar a vida social virtual de profissionais

FACEBOOK TE AJUDA A :

  • Ser visto em larga escala e  Interagir com seu público;
  • Compartilhar conteúdo de outros canais – de interesse da sua persona;
  • Anunciar para um público cada vez mais específico;
  • Múltiplos produtos de seu inventário podem ser exibidos na propaganda;
  • Pode se ter acesso a recursos educacionais, como eventos, seminários, workshops e webinars;
  • Possui links clicáveis que chamam a atenção do cliente para curtir a página, comprar ou baixar informações;
  • O próprio site encontra e indica perfis parecidos com os dos seus já clientes;
  • Possibilidade de ver o desempenho de seus anúncios, fornecendo gráficos;

Diferente dos perfis pessoais, as fanpages são espaços que reúnem pessoas interessadas sobre um assunto, empresa, causa ou personalidade em comum sem a necessidade a aprovação de amizade. É o fã que escolhe se vai ou não seguir as atualizações de determinada página.

Então, quero te dar outra dica.  Antes de tudo tenha claro se o seu negócio é B2B ou B2C. Caso nunca tenha ouvido esses termos, eu explico.

B-2-B é a empresa que vende para outra empresa: “Business To Business”, em inglês. Os moradores da terra do Tio Sam adoram trocar as palavras curtas por números. Por exemplo: prestadores de serviços de tecnologia, serviços de informática ou telefonia, contadores, entre outras.

Já B-2-C é aquela empresa que vende produtos para as pessoas físicas, o consumidor final. Por exemplo: escola infantil, dentistas, médicos, comércio, lojas de móveis, e por aí vai.

Cada rede social traz uma quantidade maior ou menor de cada público, de acordo com esse perfil. Seu cliente dificilmente estará diariamente em todas elas.

Por exemplo, o LinkedIn nasceu com a proposta de criar interação e integração entre profissionais e executivos, além da troca de boas práticas corporativas. Por isso, tornou-se uma rede mais profissional e comportada, que fala muito de negócios e do universo corporativo, e dos desafios que vivemos nesse mundo.

Se você criou uma página da sua empresa no Facebook porque todo mundo criou, muito cuidado. Essa história de pensar: “todos estão lá, então eu preciso estar também” pode ser um tiro no pé.

Você pode estar gastando energia (a sua e a dos outros) à toa. Se está investindo tempo ou recursos, não importa, reveja a sua escolha. Avalie se o seu cliente (ou persona) frequenta essa rede na sua rotina diária.

Dependendo do negócio e do nicho, estar no Instagram (como e-commerces, ou fotógrafos profissionais) já permite uma boa interação e troca de informação com o seu cliente, por exemplo. Mas é preciso avaliar, pesquisar e ouvir o seu cliente.

Como comecei minha carreira no Jornalismo, trago essa expertise de entender qual conteúdo se encaixa melhor em qual canal e aplico em praticamente tudo o que entrego para os meus clientes. Desde a curadoria de conteúdo para apresentar ao público apenas o que interessa de fato, bem como a edição dos materiais usando metodologias jornalísticas, até a utilização de técnicas de entrevista com o objetivo de levantar informações valiosas para o fazer o negócio crescer, mirando sempre as vendas.

Para quem está começando

Muita calma nessa hora. Sei que a ansiedade é intensa e, em diversos momentos, nos pegamos querendo ser um polvo, literalmente – fazer oito coisas ao mesmo tempo. Não dá.

Foque uma mídia de cada vez, no começo. Já fez uma pesquisa inicial e já sabe as palavras- chaves mais populares da sua persona? Já sabe o que o seu público está buscando mais no Google e no Facebook?

Então ok, comece criando o seu blog – recomendo e uso muito o WordPress, além do Medium, que é da família do Twitter, mas existem muitas ferramentas gratuitas e algumas com baixo custo para começar a postar os seus artigos, casos de sucesso e textos.

Depois de já ter configurado e estruturado como serão os posts do seu blog, já é hora de pensar qual rede social será a primeira a ser utilizada. Pode ser que estar em todas as redes sociais até faça sentido para o seu negócio, mas cada caso é um universo à parte e merece ser analisado por uma especialista.

Quer mais dicas?

Socorro! De onde tiro ideias para gerar meu conteúdo? 

Conteúdo sobre bastidores também serve para B2B?

Conteúdo sobre bastidores também serve para B2B?

Sua empresa vende para pessoas ou para outras empresas?Se o assunto é instigar a curiosidade com revelações de bastidores, não importa. Vá em frente e mostre sua rotina. Cadastre-se para ser avisado sempre que uma nova dica for postada – http://vcontent.com.br/contato/

Publicado por V.Content Boutique de Comunicação em Quarta-feira, 4 de abril de 2018

Sempre que postar algo novo vou te avisar! Você só precisa se cadastrar aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *